" O tempo é a essência oculta da vida, é a própria vida em todo o seu percurso" (da Sabedoria Logosófica)

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

terça-feira, 22 de setembro de 2015

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Já tomou água hoje?




Tem um novo post no TUDO POR UM BELO SORRISO!

Vai lá fazer uma visitinha, aproveita e segue a gente lá também!

Grata!
Abraço

E, sorria....



segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Vem comigo!



Oi! Tem uma nova postagem no Blog da Drª Carla Tolfo.
Vem comigo visitar a outra pagina, é rapidinho...dá um clik aqui, e você se "blogtransporta".
Pode deixar um comentário, vamos sorrir com muita alegria ao lê-lo!

Bjim

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Boas Maneiras não fazem mal a ninguém



É certo que um ser culto e de boas maneiras chama atenção aonde passa, e também inspira a quem convive com ele; da mesma forma o contrário acontece. Quem não tem boas maneiras e cultura deve causar rechaço e semear desconforto, no  minimo onde passa.

Quando falo em cultura não falo no ser que tem muito conhecimento de tudo o que se pode ter, de seres ilustrados, não, quando falo culto, falo do ser que cultiva dentro de si valores morais e éticos e que por isso sabe como se portar onde esteja.

Eu não sou, certamente, exemplo da melhor conduta, mas nem da pior, tenho certeza, porém me esforço, busco este cultivo através do estudo, da observação e obedecendo a preceitos que aprendi desde a infância. Um deles de que o meu espaço na vida termina onde começa o do outro. Existe verdade maior que esta? Penso que não e comprovo que não. Como comprovo também que é uma via de mão dupla. O meu espaço termina, mas o do outro também termina, e para que tudo fique bem, há que haver um equilíbrio de espaços; quando não há chamamos o ser de espaçoso. 
companheiro de viagem
Nesta semana tive a oportunidade de viajar a Curitiba, cidade que gosto muito, para fazer um curso de ortodontia, mais um módulo de meu curso. Estou adorando o curso, movimenta a mente, o físico, e trás energia e vontade.

A oportunidade foi da viagem. Não temos avião direto daqui a Curitiba, de modo que fui e voltei de ônibus. Tanto na ida como na volta, muitas oportunidades de observar a conduta dos seres. Principalmente na ida. E é sobre isso que vou escrever, sobre a conduta da minha "companheira" como ela me chamou, de viagem.

Eu não sou de muita conversa e quando viajo aproveito a oportunidade para ouvir musicas que gosto e pensar na vida, organizar algumas coisas que não dá tempo na correria do dia a dia, e tenho muitas boas idéias nestes momentos; mas até ai tudo bem porque puxar conversa não é deselegante. Só que eu não estava "a fim" de conversa. Eis que o celular desta senhora chama e ela inciai uma conversa que durou ao menos 10 minutos, em altos brados, de maneira que todos no ônibus poderiam saber do que se tratava, principalmente eu, mesmo com os fones de ouvido e minhas queridas musiquinhas a tocar.  Fui salva da conversa, mas não meus "companheiros" de viagem. 

                                                   fale ao telefone com respeito ao outro em viagem


Acabada a conversa, ela se acomoda para dormir, e eis que em 8 horas de viagem foi um ringue de luta livre tantas foram as acotoveladas que recebi.Ela estava dormindo, e a cada movimentação, seu espaço aumentava em direção à minha poltrona, chegou ao ponto de se apoiar em meu braço. Nesse momento eu estava cochilando, deviam ser umas 3 horas da manha, Acordei com dor no braço, sem saber o que ocorria. 


Bem, chegamos ao nosso destino, e ela começa a dobrar cobertas, puxar daqui e dali as suas coisas, completando a invasão de espaço. Eu não queria ser grosseira, então internamente travei uma conversa comigo mesma, evitando de ser mal educada com a senhora, fique de olhos fechados, e ela puxou assunto com a companheira do banco da outra fileira, dizendo que eu dormia muito, e que já tínhamos chegado. Acabou por me acordar dizendo já chegamos companheira! Me contive, apenas lhe disse:

A senhora quer passar!

Ao que ela passou e pude enfim, relaxar um pouco acomodando meus pensamentos e contendo minha vontade de acotovela-la também.

Na volta, viaje sem "companheira" ao meu lado. Pensei, vou descansar finalmente, uma viagem tranquila. Mal sabia eu que meus "companheiros no banco detrás do meu, seriam duas crianças e uma mãe. Queridos, bem que se esforçou aquela mãe para que seu pequeno, que devia ter uns três aninhos, pudesse dormir, mas foram poucos momentos de quietude no ônibus. Mas essa é outra historia, para outro post, Pensei neste momento quantas vezes eu também com minhas filhas posso ter atrapalhado o sono de quem viajava querendo um pouco de sossego, ao menos por algumas horas.

Existem regras para estes momentos? Sim existem! Quem sou eu para ditar regras, mas vou citar algumas que vejo que são essenciais, porque se vive em sociedade, e por mais tolerância que se tenha, e eu tenho muita, quem me conhece pessoalmente sabe, por mais tolerância que se tenha, ela acaba, quando começa o abuso.

Regra número 1:  Fale ao telefone em um volume que não seja audível aos seus vizinhos. (isso serve para todas as situações, não só em ônibus, sem exceção)


                                      

Regra número 2: Se  você é espaçoso, compre dois bancos ao viajar de ônibus.

                                             

Regra número 3: Mesmo que vá dormir, existem maneiras de se adequar ao espaço que se tem, sem invadir o espaço do outro, no caso, o companheiro de viagem.

                                          

Regra número 4: Observe a fisionomia de quem esta ao lado antes de puxar uma conversinha, sempre a fisionomia da pista da intenção.

                                          

Regra número 5: Os incomodados que se mudem. Esta serve para mim, que me incomodei. Só que não tinha nenhuma outra poltrona vaga, senão não teria duvidas, faria uma mudança.

                                         






É isso ai!
Serei eu a primeira a cumprir estas regras, se não, pode me cobrar....

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Responsabilidade sobre a Vida


Não sei se isso interessa à algum leitor, mas foi algo que me motivou a escrever, a "visitar" meu próprio blog, já que estou ausente do mesmo..., por falta de tempo,... enfim...

vida



Tenho tido uma oportunidade, que criei para mim, desde a semana que passou, de acordar, levantar, levar as filhas pra escola, e tomar um café numa padaria, perto de meu consultório, todos os dias. Tenho procurado fazer isso. E são muitas as oportunidades que se apresentam quando se propõe algo desse tipo. Não é nada inédito eu sei, mas diferente do que eu fazia sempre.

Hoje, estava na mesa ao lado da minha, na padaria,  uma moça, estudante do IF, aqui de Chapecó. Estava estudando, muito concentrada e focada em uma apostila, fazia anotações e sons, do tipo "Ah! entendi!, baixinho, mas como estava ao lado, conseguia perceber. Quando ela ia saindo perguntei se ela tinha prova, ao que ela respondeu que sim, mas que era só na sexta que vem. Lhe dei os parabéns pela atitude, e lhe desejei boa prova. Porque sorte ela não precisa, já que esta estudando desde já, e desde que isso, adiantar-se, é prepara a própria sorte.

Me movimentou a antecedência com que estava se preparando e pensei: 
 O que leva uma pessoa a ser responsável por sua vida? Uma jovem? Um jovem? E mesmo nós que já estamos mais maduros?

É preciso ter muitos conceitos, muitos conhecimentos para ser responsável pela própria vida, para saber que tudo depende de cada um. São elementos bem sutis, que fazem movimentar as engrenagens da mente e fazer com que se cumpram os deveres morais que se tem sem que ninguém precise falar nada, mandar, solicitar.

Será que esta moça entende que ela faz parte de uma comunidade, e que dela se espera muito, que a vida espera muito dela, que ela tem uma missão de colaborar para que o mundo ao seu redor fique melhor e que com isso, em uma rede de atitudes conscientes, ou não, atitudes de bem, o mundo vá ficando melhor, gradativamente. 

Vida
Ela me olhou e sorriu. Desde que entrei, antes de entabular uma conversa. Será porque cumprir com a responsabilidade faz a pessoa ficar mais feliz, satisfeita com ela mesma e assim irradiando boas energias para quem se aproxima? Porque ela sabe que ela precisa estudar para ter um bom resultado, mesmo que ela não seja consciente de tudo o que isso significa, ela sabe que depende dela o sucesso dela. Sucesso que neste caso é tirar uma boa nota, e mais que isso, aprender o que esta estudando.


Fiquei feliz, ela irradiou para mim uma força muito grande que me fez vir até aqui e escrever estas linhas. Pensei se não seria isso uma grande missão, porque as coisas que não estão boas são jogadas maciçamente, constantemente, insistentemente nesse mundo que não se enxerga, mas se capta, e é isso que é irradiado. Quanto coisa boa vem de um dez na escola, de um nove. Quanta coisa boa vem de uma pessoa que estuda, porque sabe que seu futuro, e o futuro de muitos depende daquela nota, daquele aprendizado, daquele esforço/empenho.

Saber o que significa futuro também é um saber imprescindível para ser responsável, mas isso é outra história, para outra postagem.

Quantas coisas são de nossa responsabilidade e acabamos delegando aos outros; como a nossa felicidade por exemplo?

Seja feliz hoje, observe que tipo de pensamento acompanha você se é um pensamento de bem, ou não, algo que vai construir, ou que vai bagunçar tudo ao seu redor. E viva seu dia com alegria, viver com alegria é muito melhor!

Bom dia pra você!

terça-feira, 14 de abril de 2015

Frase de Hoje




" És eternamente responsável 
por aquilo que cativas"
( Pequeno Príncipe S.E.)




BJs